9 maneiras de aumentar a sua fertilidade

(1/1)

cas:
fonte: http://www.revistapaisefilhos.com.br/htdocs/index.php?id_pg=109&id_txt=420

por ANGELA ARANTES, MÃE DE JULIANA E MARCELA

Você acha que fertilidade é “uma coisa que se tem ou não tem”? Então, pense melhor. Existem algumas simples atitudes no estilo de vida que podem melhorar sua fertilidade... e as chances de engravidar

1- Comece a comer por dois

Você precisa se alimentar para poder nutrir um bebê dentro de você. Comece escolhendo alimentos ricos em grãos integrais. “Grãos refinados perdem o farelo e o germe do grão, os quais contêm 17 nutrientes essenciais”, diz Bridget Swinney, nutricionista da Universidade de El Paso, no Texas, autora do livro ainda não publicado em português Eating Expectantly: A Practical and Tasty Cuide to Prenatal Nutrition (o título em português seria algo como “Comendo para a gravidez: Um guia prático e saboroso para a Nutrição Pré-natal”).

Ela aconselha a escolha de vegetais e frutas de colorido variado todos os dias. “A cor dos alimentos se transforma em anti-oxidantes e fitoquímicos, que fazem bem à saúde em geral, o que é bom para a fertilidade.”

Ácidos graxos também são importantíssimos na dieta de quem quer preservar a fertilidade, tantos os Ômega-6 (provenientes do óleo de milho, da soja e do girassol) quanto os Ômega-3 (dos óleos de peixes, canola, oliva, girassol e linhaça).

A ingestão de salmão uma ou duas vezes por semana, ou de ovos fortificados com DHA (um ácido graxo encontrado no óleo de peixes, que é um componente importante do tecido do cerebral) é uma maneira ótima de aumentar os seus Ômega-3.


2- O peso correto para engravidar

Estar acima ou abaixo do peso ideal afeta a fertilidade de forma significativa.

De acordo com a doutora Helen Kim, uma professora assistente da ginecologia e da obstetrícia e diretora do programa de fertilização in vitro da Universidade de Chicago, as mulheres que estão abaixo do peso com um índice de massa corporal (IMC) inferior a 19kg/m² demoram quatro vezes mais para engravidar do que as mulheres dentro da faixa normal (19 a 24kg/m²).

Por outro lado, as mulheres que estão acima do peso podem ter uma resistência à insulina (isso significa que um índice alto de insulina circula no organismo, interrompendo a menstruação). A produção de estrogênio das células gordurosas também pode afetar os ovários e evitar que os óvulos sejam liberados a cada mês, uma condição conhecida como anovulação.

Se você estiver muito magra, engordar uns 2,5 quilos pode ser o suficiente para dar um empurrãozinho na ovulação e na menstruação.

Se você estiver acima do peso, emagrecer por volta de 5% a 10% do seu peso atual também é quase sempre o suficiente para produzir o mesmo efeito.

Porém, a doutora Helen adverte que este não é o momento para se experimentar uma dieta da moda. “Você precisa encontrar padrões de alimentação e exercício que irão acompanhá-la na sua gravidez.”


3- Exercite-se de maneira inteligente

Agora não é a hora de malhar intensamente, melhor é o exercício moderado. “O exercício em excesso gera muita adrenalina, o que é interpretado como stress pelo organismo,” explica a doutora Helen. “Infelizmente, a mãe natureza não consegue interpretar o stress e então agir de forma seletiva. Assim, exercício excessivo leva à disfunção ovulatória.”

Conclusão: se você malhar demais, não vai ser capaz de produzir bons óvulos.


4- Suplementos… com certeza!

Comece (ou continue) a tomar um tipo de complexo multivitamínico ou uma vitamina pré-natal que contenha ácido fólico. Durante as primeiras semanas da gravidez, antes mesmo que você perceba que está grávida, os tubos neurais do embrião (a versão inicial da coluna vertebral do bebê) começam a se desenvolver.

Ao tomar um suplemento, que contenha o ácido fólico, você reduz a probabilidade de defeitos. ′Tome uma vitamina com pelo menos um miligrama de ácido fólico”, recomenda a doutora Helen.

E o que falar sobre ervas e outros suplementos que dizem aumentar a fertilidade? Ainda não se chegou a uma conclusão a respeito disso, mas em 2004 uma equipe de pesquisadores da Universidade de Stanford, na Califórnia, descobriu que as mulheres que tomavam um suplemento que contém chastebarry (um tipo de framboesa típica da América do Norte), extrato de chá verde el-arginina (um aminoácido) junto com uma mistura de vitaminas e minerais, tinham uma probabilidade maior de engravidar do que as mulheres que não tomaram esse suplemento e as vitaminas e minerais.
Os pesquisadores concluíram que o suplemento ajudou a melhorar a ovulação e a recuperar o equilíbrio hormonal. São necessários outros estudos para confirmar essas descobertas.

(Observação: se estiver utilizando medicamentos para fertilidade, você não deve tomar esses suplementos).


5- Diminua o álcool e a cafeína

O papel da cafeína na fertilidade é um dos assuntos que vem à tona de tempos em tempos. A pesquisa está em andamento e ainda não se chegou a um veredicto. Mas até agora a maioria dos entendidos no assunto concordam que, contanto que você limite a sua ingestão a menos de 300 miligramas por dia (a quantidade contida em duas xícaras pequenas de café e mais um refrigerante), a sua fertilidade não deve se alterar. “A cafeína contém xantina, que tem um efeito estimulante, o que pode ter efeitos adversos sobre a ovulação e a qualidade do óvulos, se houver exagero”, explica Helen Kim.

Quanto ao álcool, todo mundo sabe que quando você está grávida, você deve parar de beber. Mas os efeitos sobre a fertilidade não foram tão bem investigados. Com certeza o consumo de álcool tem sido ligado à anovulação (não ovulação). O álcool também pode afetar os níveis de estrógeno e progesterona. O velho ditado ′tudo com moderação′ é aplicável. Um copo de vinho de vez em quando, provavelmente não vai afetar a fertilidade, mas muitos entendidos no assunto acham que o melhor é ficar do lado seguro e já ir parando com o álcool assim que começar a tentar engravidar.


6- Mantenha a calma

Você já sabe disso – sim, é óbvio, você deve se empenhar o máximo para controlar o seu nível de stress. “O stress pode aumentar os níveis de cortisol (o chamado hormônio do stress) e pode bloquear o seu sistema reprodutor”, diz Helen.

Sem falar que o stress também pode afetar o seu relacionamento com o parceiro, dificultando a intimidade. Algumas mulheres descobrem que a ioga ou a meditação ajudam a aliviar a ansiedade e a tensão. Porém, outras mulheres podem chegar à conclusão de que precisam da ajuda de um profissional para controlar o stress.


7- Abandone o cigarro hoje

De acordo com a doutora Helen, o fumo tem um efeito negativo sobre a fertilidade, tanto para os homens quanto para as mulheres. “As mulheres que fumam chegam à menopausa cerca de dois anos mais cedo do que as que não fumam,” afirma Helen. “Apenas isto já nos diz que o fumo é tóxico para o sistema reprodutivo.”

O fumo também está muito associado à incidência abortos, e as mulheres que fumam estão mais propensas a ter uma gravidez ectópica. O fumo também é um problema para os homens. “Os homens que fumam têm contagem de esperma mais baixa, menos motilidade dos espermatozóides e mais anormalidades no formato deles”, diz Helen.

E se o seu parceiro fuma, ele não coloca em risco o esperma dele, mas também deixa você vulnerável a muitos dos problemas que perturbam mulheres fumantes. “Se você quer engravidar, ter uma gravidez e um bebê saudável, vocês dois têm de parar imediatamente”, frisa Helen.


8- Ciclo do sucesso

Um ciclo menstrual regular é sinal de fertilidade. “Stress, depressão, estar acima ou abaixo do peso, tudo isso pode afetar a menstruação”, diz Helen. Se você controlar esses problemas e mesmo assim o seu ciclo ainda for irregular, consulte o seu médico. “Pode ser que haja uma patologia, como uma síndrome de ovário policístico, um problema tireóide ou outro desequilíbrio hormonal que pode ser tratado para fazer o seu ciclo voltar ao normal,” diz ela.


9- Dê mais zinco para ele

“É tão importante para o homem seguir uma dieta pré-gravidez quanto para a mulher,” aconselha nutricionista Bridget Swinney.

O mineral zinco, por exemplo, é necessário para a produção de esperma; deficiência de zinco pode resultar em níveis de testosterona mais baixos.

O zinco é encontrado na ostra, carne vermelha, na carne de carneiro e de porco, no marisco, no trigo integral e no espinafre.

Outro mineral importante para a produção do esperma é o selênio, encontrado na castanha-do-pará, no atum, na carne vermelha, no bacalhau, nas massas, nos ovos ou nos queijos enriquecidos.


ATENCAO !
"Os artigos e discussoes postados tem apenas propósitos educacionais e de interacao entre as portadoras de endometriose. Portanto, não pretendem em hipótese alguma substituir uma consulta médica; as informações aqui contidas são de caráter geral. Lembrando que nesta comunidade, os membros são formados em sua maioria por leigos na medicina. Se você tiver qualquer problema com sua saúde, ou duvidas em relacão ao seu tratamento consulte um médico de sua confiança."

By@RJ:
Mto bom Cas!

BjÔ  :-*

Navigation

[0] Message Index