Forum Endometriose - 2012, 2013 & 2014
October 24, 2014, 01:23:38 PM *
Welcome, Guest. Please login or registre.

Login with username, password and session length
News: ACESSE A NOSSA PESQUISA SOBRE TEMPO DE ESPERA PARA CONSULTAS!!!
 
   Home   Help Search Login Register  
Pages: [1]   Go Down
  Print  
Author Topic: Diagnóstico de Endometriose. Dá para saber se tenho endo?  (Read 19761 times)
ilan
Administrator
Full Member
*****

Karma: +2/-0
Offline Offline

Posts: 159



« on: May 11, 2007, 10:38:28 PM »

REtirado da comunidade Convivendo com a Endometriose http://www.orkut.com/CommMsgs.aspx?cmm=4864369&tid=2531676409777203980&start=1


(Postado por Dani)

Lista de todos os exames pra diagnosticar a endo!
Meninas, ñ podemos bobear na hora de cobrarmos dos nossos médicos todos os exames q julguemos necessários. Eu, particularmente, prefiro pecar pelo excesso do q pela falta de dados.
Qto mais cedo e mais preciso o diagnóstico, mais efetivo será o tratamento!!!

Aí vai:

EXAMES PARA DIAGNÓSTICO PRECISO DA ENDO

EXAME CLÍNICO:

As queixas mais freqüentes entre as portadoras de endometriose são:
• Dismenorréia (cólica menstrual),
• dor pélvica crônica (cólica constante),
• esterilidade (dificuldades pra engravidar),
• irregularidade menstrual e
• dispareunia (dor no ato sexual – na penetração).


As alterações urinárias e intestinais cíclicas (durante fases do ciclo menstrual) devem ser também valorizadas, tais como dor à evacuação, diarréia, disúria perimenstrual (dificuldade para urinar), polaciúria (aumento na freqüência das micções), urgência miccional e hematúria (sangue na urina).

Dos achados do exame físico destacam-se os nódulos e a dor em fundo de saco posterior, espessamento do ligamento útero sacro, mobilização uterina dolorosa (útero fixo), massas anexiais e retroversão uterina fixa. O exame físico minucioso, principalmente quando efetuado pouco antes da menstruação dá informações importantes não só sobre a presença da doença como também chama a atenção sobre a eventual presença de doença infiltrativa, de maior gravidade.


DIAGNÓSTICO SUBSIDIÁRIO

Entre os métodos utilizados para o diagnóstico da endometriose, a laparoscopia representa o mais acurado. Por se tratar de procedimento invasivo, apesar de menos agressivo que a laparotomia (cirurgia aberta), critérios para a sua indicação devem porém, ser bem estabelecidos. Para tanto, outros métodos diagnósticos prévios merecem destaque:   
 
**Dani**  21:18(1 hora atrás) MARCADORES:

• o mais utilizado marcador com este propósito é o CA-125. Proteínas de fase aguda inflamatória como a proteína C reativa (PCR) e sérica amilóide A (SAA) foram descritas como marcadores indiretos de intensidade de doenças que envolvem processos inflamatórios. O CA -125 II deve ser dosado no primeiro, segundo ou terceiro dias do ciclo menstrual, servindo como marcador da endometriose avançada quando apresentar-se em valores superiores a 100 U/ml.

• O anticorpo IgM anticardiolipina(IgM aCL) também dosado no início do ciclo menstrual pode ser usado como marcador da doença em seus estádios iniciais.

• A dosagem da SAA na mesma fase pode quando em níveis superiores a 50 mg/ml em associação com CA 125 superior a 100 U/ml, predizer comprometimento intestinal.

Na prática, indicamos a dosagem do CA 125 II no início do ciclo menstrual associado com a SAA na suspeita de doença intestinal e com a IgM aCL na suspeita de endometriose em seus estádios iniciais (Abrão et al., 1997).


ULTRA-SOM PÉLVICO:

Esse método, principalmente se realizado com transdutor vaginal, possui maior validade na presença de cistos anexiais, quando pode sugerir a presença de endometriose baseado na ecogenicidade dos mesmos. Porém, a dificuldade diagnóstica em estádios iniciais e a impossibilidade de se firmar diagnóstico de certeza colocam essa modalidade propedêutica como método adjuvante para a endometriose.

Mais recentemente, a DOPPLERFLUXOMETRIA , identificando fluxos de baixa resistência , tem colaborado com o diagnóstico, apesar de sua baixa especificidade .


TOMOGRAFIA COMPUTADORIZADA E RESSONÂNCIA MAGNÉTICA NUCLEAR:

Representam métodos mais sofisticados e caros, que não superam a ultra-sonografia dentre os métodos por imagem. na maioria das situações. Tem melhores aplicações na identificação de doença retro-peritoneal ou invasão do trato intestinal, assim como em suspeita da doença em outros lugares menos freqüentes.   
 
**Dani**  21:20(1 hora atrás) ...
Nessas situações permitem seguimento do tratamento clínico de forma não invasiva, das lesões nessas localizações, previamente ao tratamento cirúrgico.


LAPAROSCOPIA:

É, ainda hoje, a principal modalidade propedêutica para a endometriose, além de permitir, concomitantemente, tratamento da mesma. Nesse procedimento, é importante que se visualize toda pelve, principalmente a superfície ovariana, fossa ovárica, fundo de saco de Douglas e ligamentos útero-sacros.


MICROLAPAROSCOPIA:

A microlaparoscopia está indicada em procedimentos onde, através dos exames citados, não se suspeite de doença nos estádios III e IV. Tal fato se justifica pois, na identificação de endometriose avançada, o procedimento se torna limitado e a retirada das peças cirúrgicas se inviabilizam.

Assim, na presença de quadro clínico sugestivo, aliado a exame ginecológico sem evidenciar aumentos anexiais importantes ou acometimento de septo retovaginal, com ultra-som pélvico sem sugerir doença avançada e CA 125 dosado nos primeiros três dias do ciclo menstrual com valores inferiores a 50 U/ml, a microlaparoscopia está indicada.

Há controvérsias sobre o benefício do tratamento cirúrgico da endometriose grau I e II em pacientes com infertilide. Assim, para este propósito, a microlaparoscopia é indicada.

Nos casos onde esteja indicado o mapeamento consciente da dor pélvica, a microlaparoscopia representa a alternativa mais plausível.

Outra indicação para este procedimento seria nos casos de endometriose avançada, com várias cirurgias anteriores, para se identificar a presença de aderências abdominais. Através desta óptica, visualiza-se a região umbilical e, na ocorrência de aderências nesta região, realiza-se a adesiólise (retirada das aderências).

Nos casos de endometriose ovariana, quando se decidir pelo esvaziamento do cisto, visualização do seu interior e cauterização da cápsula, a microlaparoscopia está também bem indicada, tornando-se alternativa menos invasiva para este propósito.   
 
**Dani**  21:21(1 hora atrás) Na presença de grandes endometriomas, quando a opção for a abordagem em dois tempos com o intuito de preservar tecido ovariano, a primeira cirurgia pode ser realizada pela microlaparoscopia.

Fonte:http://www.endoscopiaemginecologia.com.br/consenso/laparoscopia/textos/microlaparoscopia/micro_endo.htm
OBS: Nesse link há várias fotos de imagens obtidas durante a microlaparoscopia.   
 
 
Logged
cristina
Jr. Member
**

Karma: +1/-0
Offline Offline

Gender: Female
Posts: 70



« Reply #1 on: May 16, 2007, 11:15:16 AM »

Muito bem, parabéns Ilan! Tá muito bem informado sobre a endo ,acredito que se alguém tiver alguma dúvida sobre o que fazer em caso de suspeita de endometriose ficará satisfeito com as informações dadas por ti,você foi genial por lançar um tópico como este,aceite pois são meus sinceros elogios!Um abraço!
Logged

ilan
Administrator
Full Member
*****

Karma: +2/-0
Offline Offline

Posts: 159



« Reply #2 on: May 17, 2007, 05:46:45 PM »

O agradecimento deve ser dirigido à comunidade que coloquei, mais especificamente à Dani. De qq forma um obrigado parcial! 
Logged
Pages: [1]   Go Up
  Print  
 
Jump to:  

Powered by MySQL Powered by PHP Powered by SMF 1.1 RC3 | SMF © 2001-2006, Lewis Media Valid XHTML 1.0! Valid CSS!